Os Ratos e As Razões Para Seus Níveis Excessivos De Cocô

Os Ratos e As Razões Para Seus Níveis Excessivos De Cocô

Os Ratos e As Razões Para Seus Níveis Excessivos De Cocô

Quando eu era adolescente, minha irmã ganhou uma chinchila de estimação e eu tinha uma grande aflição de pegá-la no colo porque ela fazia muito cocô. Quem já teve algum roedor, como hamsters ou porquinhos-da-índia, sabe muito bem do que eu estou falando.

Mas será que você já parou para se perguntar como um bichinho tão pequenininho é capaz de produzir tanto cocô?A veterinária Cynthia Alvarado explicou os motivos para tanto trabalho intestinal: Apesar de serem pequenos, os ratos exigem mais alimentos por grama de seu peso, quando comparados a mamíferos maiores.

Como cães, gatos ou humanos, além disso, a dieta rica em plantas faz com que naturalmente sejam produzidas mais fezes.Para ratos não domesticados, o cocô e a urina servem como uma demarcação de território. O fluxo digestivo também é determinado pela espécie do rato, além de sua idade, seu sexo, seu nível de atividade.

E sua alimentação, por isso, entenda que é supernormal o seu bichinho fazer muito o “número 2”.Agora, se as fezes encontradas forem de animais que não sejam de estimação, é bom você tomar cuidado, pois ratos podem transmitir doenças – principalmente pelas fezes e pela urina.

Ou seja, se você notar algum rastro de um invasor inoportuno, trate de dar um jeito de se livrar dessa praga, já que sua saúde corre risco. E mesmo para animais domesticados, não custa nada lavar as mãos depois de brincar com eles.

Não há como negar que os ratos são pragas que constantemente tiram muitas pessoas do sério, seja pela proliferação de doenças ou pelo fato dessas criaturas adorarem beliscar certos alimentos. Se você já se deparou com um rato solto em sua cozinha, as chances são grandes de que você já tenha descoberto o paradeiro do bicho.


Outros fatores

Também é importante destacar que alguns ratos podem defecar mais que outros. Por exemplo, peso, sexo, idade, dieta, nível de atividade, estágio de vida e até mesmo a temperatura de seu ambiente, são fatores que influenciam na produção do cocô.

Curiosamente, algumas pessoas podem notar que os ratos parecem gostar de fazer cocô em linha reta. Isso pode acontecer porque os ratos tendem a ficar perto de paredes ou cantos quando estão navegando em seu ambiente. Além disso, eles também gostam de evitar áreas iluminadas.


Prevenção é importante

Obviamente, ninguém gosta de encontrar fezes de rato na cozinha e a prevenção é especialmente importante porque excrementos de roedores podem transmitir doenças sérias. Por exemplo, o rato-veadeiro (Peromyscus maniculatus) e o camundongo-de-patas-brancas (Peromyscus leucopus).

Podem transmitir a síndrome pulmonar por hantavírus, que por sua vez pode causar febre, dores de cabeça, dores musculares, problemas estomacais, tonturas e calafrios em pessoas infectadas. Por isso, recomenda-se a colocação de armadilhas para ratos e a manutenção de alimentos para deixá-los fora do alcance desse animais.


Quais são os sinais deixados pelos ratos em sua casa?

As características das infestações de ratos podem variar por diversas razões, a depender da espécie do animal, das particularidades do ambiente. Há, no entanto, sinais inequívocos que apontam a presença dessas pragas em sua casa. Levando em consideração que, mesmo em casos mais sérios.

Raramente conseguimos ver um rato vivo fora de seu esconderijo, é fundamental entender bem os rastros que os animais deixam para que seja possível identificar um caso de infestação.


Fezes de rato – Esse é um dos sintomas mais comuns de uma infestação. Fezes costumam ser encontradas mais esporadicamente no início e tornarem-se mais frequentes com o tempo, especialmente nas áreas mais frequentadas pelos ratos. Os excrementos têm forma cilíndrica, cor escura e costumam medir de 3-6 mm.


Manchas – Os ratos costumam passar sempre pelos mesmos lugares e trazer muita sujeira e gordura em seus corpos. Com isso, as áreas muito frequentadas por eles, onde paredes, móveis e objetos são repetidamente tocados por seus corpos e pelos, acabam ficando manchadas.

Encontrar manchas é uma boa dica não apenas para identificar uma infestação, mas também para descobrir os pontos onde os ratos se encontram.


Marcas – Ratos são roedores, certo? Portanto, é inevitável achar uma ou outra dessas marcas pela casa no caso de uma infestação, sendo essa uma boa forma de identificar o problema. A mordida típica do rato geralmente apresenta a forma de duas ranhuras paralelas, que estão a uma distância de cerca de 1 ou 2 mm uma da outra.


Pegadas – O tamanho e o espaçamento das pegadas de rato dependem da espécie, mas isso não faz grande diferença na hora de identificar seus rastros, afinal, o desenho característico de uma pegada é facilmente reconhecível. Geralmente, esses rastros são encontrados em ambientes empoeirados.

Se você quiser apenas tirar uma prova, pode polvilhar com farinha o lugar onde desconfia que esteja sendo infestado (normalmente, áreas que já apresentaram outros sinais) e, no dia seguinte, avaliar as marcas.


Ninhos – Os ninhos ficam escondidos quase sempre em locais tranquilos e com boas fontes de alimento nas redondezas, como atrás da geladeira, por exemplo. Os ratos costumam construí-los com material triturado por eles, como jornais e tecidos. Geralmente, ninhos contêm ratos jovens e um grande número de fezes.


Odor específico – Infestações podem criar odores muito desagradáveis e característicos. Os ratos deixam um rastro semelhante a amoníaco, que é especialmente forte em áreas mais fechadas, como armários de cozinha. O cheiro pode vir não apenas da urina, como também da decomposição dos roedores.

Se você encontrou ratos em sua casa ou empresa e precisa de uma desratização efetiva e duradoura, é só entrar em contato!Contrate profissionais licenciados e com referencias.

Postagem Relacionada